Arapeí

Município de pequeno porte, o menor, em número de habitantes, do Vale do Paraíba (2.532 habitantes, 2014). A densidade demográfica também é baixa (15,79 habitantes por km2), muito inferior à da Região e Estado (171,92), o grau de urbanização é baixo em comparação ao Estado (76,22%; Estado 96,2%) e há discreto predomínio da população feminina, que é idosa em comparação ao Estado e região (15,4% da população tem mais de 60 anos). A análise das pirâmides demográficas (Acesse o Inforgráfico) mostra o acompanhamento da tendência nacional de redução da fecundidade e mortalidade infantil, e aumento da expectativa de vida. Enquanto a região e o Estado crescem em população, a taxa geométrica de crescimento da população do município, de 2010 a 2015 foi negativa (-0,18aa). A renda per capita (R$ 414,54) é inferior ao valor da região e do Estado (R$ 853,75) e 31,90% dos domicílios, segundo o Censo de 2010, possuíam renda de até 1/2 salário mínimo. A taxa de analfabetismo (7,67%) é maior do que a do Estado (4,33) e maior do que a da região. Esses índices caracterizam o município como tendo baixos níveis de riqueza e nível intermediário de longevidade e/ou escolaridade, com IDHM de 0,680.

Essas condições trazem inúmeros desafios para a organização do sistema de saúde, como: vencer as distâncias a serem percorridas para chegar às pessoas, pois a população é pequena e dispersa no território; prevenir e cuidar das condições crônicas, que aumentam com o envelhecimento da  população  e  as

acompanham por toda a vida; captar e fixar profissionais  na  atenção primária em saúde e dar acesso aos tratamentos especializados, que devem ser realizados em municípios de referência na Região. Como veremos, a implantação da estratégia saúde da família e a organização da Rede Regionalizada de Saúde responderam a alguns desses desafios.

(Dados: Fundação Seade, perfil municipal, consulta em 21 de novembro de 2015)

Página em construção.
 

PLANEJAMENTO

TERRITÓRIO

Uso do solo

CIDADE

LOCALIDADES

CULTURA, IDENTIDADES E CONEXÕES

Arapeí preserva a ruralidade do tempo em que se inseria com destaque no ciclo econômico do café. Sua beleza natural é o ponto de partida de muitos visitantes que exploram os parques para se aproximar da Mata Atlântica ainda preservada. A Pedra do Caxambu, na Serra da Bocaina, é uma das muitas trilhas que podem ser feitas a partir da cidade. A natureza conecta Arapeí a outros municípios e Estados do país.

As vias de conexão de Arapeí ao Vale reforçam o seu aspecto histórico e rural, como no circuito turístico Roteiros Caminhos da Corte, pela Estrada dos Tropeiros. As pousadas rurais, os deliciosos restaurantes de comida caseira, a Igreja (na fotografia, a Matriz de Santo Antonio) que se eleva no território e permanece referência espacial, mostram que aqui, o tempo ainda transcorre lento.

A ruralidade e a história se encontram no feijão tropeiro. E quando um restaurante simples, com criação no quintal, é descoberto pelo Guia Quatro Rodas e pelos aplicativos de internet, ganha fama, e se torna um ponto para receber gente dos quatro cantos do país, que aqui se sentam à mesa e, numa garfada, experimentam uma viagem sensorial no tempo.