Canas

Município de pequena extensão, com 4.660 habitantes (2014) e densidade demográfica de 87,50 habitantes por km2, bem abaixo da média para o Estado de São Paulo (171,92). O grau de urbanização é alto (94,6%) e há discreto predomínio da população masculina. A população é jovem em comparação à Região e ao Estado (10,5% da população com 60 anos ou mais, no Estado mais de 13% da população encontra-se nessa faixa). A análise das pirâmides demográficas (Acesse o infográfico) mostra o acompanhamento da tendência nacional de redução da fecundidade e mortalidade infantil, e aumento da expectativa de vida. A taxa geométrica de crescimento da população de 2010 a 2013 (1,57aa) foi superior às taxas da Região e do Estado (0,87aa) A renda per capita (R$ 402,53) , porém, é inferior ao valor da região e do Estado (R$ 853,75) e 39,0% dos domicílios, segundo o Censo de 2010, possuíam renda de até 1/2 salário mínimo. A taxa de analfabetismo (6,2%) é maior do que a do Estado (4,33) e  região. Esses índices caracterizam o município como sendo mais desfavorecido, tanto em riqueza quanto nos indicadores sociais, em comparação aos demais municípios paulistas, com IDHM de 0,704 (o IDH do Estado de São Paulo, em 2010, era de 0,783.

(Dados: Fundação Seade, perfil municipal, consulta em 21 de novembro de 2015)

Página em construção.
 

PLANEJAMENTO

TERRITÓRIO

Uso do solo

CIDADE

LOCALIDADES

CULTURA, IDENTIDADES E CONEXÕES

O município de Canas teve significativa atividade agrícola, impulsionada por colônias de imigrantes que ainda hoje influenciam a cultura da cidade.

Conheça mais no portal da CEPAM: http://www.cepam.org/municipios/municipios-paulistas/canas.aspx#ad-image-1

Os espaços representativos de determinadas épocas da cidade ganham novos significados e usos: a Cerâmica Progresso tornou-se centro cultural.

Autor da foto: Enivaldo Cruz, disponível em  http://pt.db-city.com/Brasil–S%C3%A3o-Paulo–Canas

Atualmente, o setor agrícola emprega apenas 2,9% da população;   40,2% trabalham na construção, 27,8% no setor serviços e 18,0% na indústria.  As fazendas abrem-se para visitação e mudam de ramo, como o reflorestamento, por exemplo. Mas na memória coletiva, a agricultura ainda marca o município e essa memória é avivada de tempos em tempos, como no desfile de máquinas agrícolas.

Obtido de: http://www.cepam.org/municipios/municipios-paulistas/canas.aspx#ad-image-3