Guaratinguetá

Município de referência para a Região de Saúde do Circuito da Fé e Vale Histórico. Com 114.750 habitantes (2014) é um dos seis municípios de grande porte da RMVale. É densamente habitado (152,46 habitantes por km2; Estado de São Paulo – 171,92) e altamente urbanizado (95,3% da população vive em área urbana). A população tem discreto predomínio feminino e é idosa em comparação à região e Estado (14,7% da população tem 60 anos ou mais de idade, no Estado este percentual é de 13,2%). A análise das pirâmides demográficas (Veja o Infografico) mostra o acompanhamento da tendência nacional de redução da fecundidade e mortalidade infantil, e aumento da expectativa de vida.  A taxa geométrica de crescimento da população de 2010 a 2015 foi positiva (0,61aa), maior do que a Região porém menor do que o ritmo de crescimento do Estado (0,87). A renda per capita (R$ 800,48), embora alta para a região, é inferior ao valor médio do Estado (R$ 853,75) e  20,3% dos domicílios, segundo o Censo de 2010, possuíam renda de até 1/2 salário mínimo. A taxa de analfabetismo (2,9%) é menor do que a da região e Estado (4,3%).

Esses índices caracterizam o município como tendo altos níveis de riqueza porém sem bons indicadores sociais, o que reflete no acesso e organização da rede de saúde. A população cresce e envelhece, o que implica em demandas também crescentes para a rede de serviços de saúde.

Na análise do índice  de  responsabilidade  social  (IPRS)

calculado pela Fundação Seade, Guaratinguetá, em 2012, pertencia ao grupo 2 (municípios que, embora com níveis de riqueza elevados, não exibem bons indicadores sociais).   Possuía IDHM 0,798 em 2010 (superior ao IDH do Estado, 0,783). (Dados: Fundação Seade, Perfil municipal.  http//www.imp.seade.gov.br Consulta em 22 de novembro de 2015)

Página em construção.
 

PLANEJAMENTO

TERRITÓRIO

Uso do solo

CIDADE

LOCALIDADES

CULTURA, IDENTIDADES E CONEXÕES

Museu Frei Galvão
Nascido na cidade em 1739 e beatificado e canonizado em 2007, o franciscano Frei Antonio de Sant’Ana Galvão, “o primeiro santo brasileiro”, tem muita relação com a identidade da cidade e a caracteriza como pertencendo à Região de Saúde que escolheu se denominar “Circuito da Fé”. O museu, fundado em 1972, é mantido pelo Centro Social de Guaratinguetá e pelos Amigos do Museu. É um dos pontos da cidade (entre outros) do circuito de turismo religioso. Em seu acervo, telas, imagens e móveis de Guaratinguetá de ontem e hoje.

Fonte: http://www.portalvale.com.br/cidades/guaratingueta/museu-frei-galvao.php

O Museu Conselheiro Rodrigues Alves procura não apenas coletar e conservar documentos, mobiliário e objetos pertencentes ao ex-presidente da República, o Conselheiro Rodrigues Alves, apresentar e educar no sentido didático da palavra, mas, também, ter um papel ativo orientado ao público. É um espaço cultural aberto aos pesquisadores, aos estudantes em geral e ao público, que conecta o passado ao presente da cidade.

Fonte: Museu Rodrigues Alves

Estação Ferroviária
Antes da Via Dutra, era pela ferrovia que circulavam pessoas, produtos, riquezas, anseios. A estação de Guaratinguetá operou até 1996, quando foi desativada pela RFFSA. A partir dai começou um processo rápido de decadência e abandono que a deixou em um estado muito parecido com as diversas estações abandonadas espalhadas pelo país. Tombada pelo CONDEPHAAT, começou a ser restaurada em 2006 e, diferente de outras estações ferroviárias da região, após dois anos de trabalhos de restauro a estação ferroviária de Guaratinguetá foi entregue à população em 2008. Desde então vem funcionando como espaço de eventos e exposições.

Fonte: http://www.saopauloantiga.com.br/estacao-de-guaratingueta/

Conheça mais sobre as Estações Ferroviárias da Região em : Estações Ferroviárias do Brasil