Redenção da Serra

Município de pequeno porte (3.852 habitantes, 2014), baixa densidade demográfica (12,45 habitantes por km2; Estado de São Paulo – 170,43), urbanização relativamente alta (63,60%) e discreto predomínio feminino da população, que é jovem em comparação ao Estado e região. A análise das pirâmides demográficas (Figura 1) mostra o acompanhamento da tendência nacional de redução da fecundidade e mortalidade infantil, e aumento da expectativa de vida.  A taxa geométrica de crescimento da população de 2010 a 2013 foi negativa  (-0,14 a.a), menor do que o Estado e do que a Região (1,16aa). A renda per capita (R$ 392,30) é inferior ao valor da região e do Estado (R$ 853,75) e  40,62% dos domicílios, segundo o Censo de 2010, possuíam renda de até 1/2 salário mínimo. A taxa de analfabetismo (10,38) é maior do que a do Estado (4,33) e do que a da região.  Esses índices caracterizam o município como tendo baixos indices de riqueza e indices sociais medianos. A população é jovem e cresce, o que implica em demandas também crescentes para a rede de serviços de saúde.

Segundo o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), o município não possui mamógrafos.

Página em construção.
 

PLANEJAMENTO

TERRITÓRIO

Uso do solo

CIDADE

LOCALIDADES

CULTURA, IDENTIDADES E CONEXÕES

Sua história tem origem no século XIX com o inicio do ciclo do café e consequente deslocamento da economia brasileira para a região do Vale do Paraíba.  A construção da represa de Paraibuna determinou o desaparecimento de Redenção da Serra, restando apenas a parte mais alta do município.