São José do Barreiro

Município de  pequeno porte  (estimativa de 4.078 habitantes, 2015), baixa densidade demográfica (7,13 habitantes por km2; Estado de São Paulo – 171,92), urbanização relativamente baixa (74,10%), cuja população é idosa em comparação ao Estado e região (15,1% da população possui 60 anos ou mais, no Estado esta proporção é de 13,19%) e igualmente distribuída entre o sexo feminino e masculino. A análise das pirâmides demográficas (Acesse o Infográfico) mostra o acompanhamento da tendência nacional de redução da fecundidade e mortalidade infantil, e aumento da expectativa de vida.  A taxa geométrica de crescimento da população de 2010 a 2014 foi negativa (-0,05 a.a), diferente da Região e do Estado, que recebem migrantes, em São José do Barreiro a população diminui. A renda per capita (R$ 454,64) é bastante inferior ao valor da região e do Estado (R$ 853,75) e  38,9% dos domicílios, segundo o Censo de 2010, possuíam renda de até 1/2 salário mínimo. A taxa de analfabetismo (11,04%) é maior do que a do Estado (4,33) e  região.

Esses índices caracterizam o município, segundo a Fundação SEADE, como pertencendo ao grupo mais desfavorecido, em riqueza e indicadores sociais. O IDHM em 2010 era de 0,680, distante da média do Estado de São Paulo (0,783)

Essas condições trazem inúmeros desafios para a manutenção da saúde e qualidade de vida da população e organização do sistema de saúde, como: atender as necessidades da população idosa, que se  dispersa   no    território;    prevenir    e    cuidar    das

condições     crônicas,     que      aumentam    com   o envelhecimento da população e as acompanham por toda a vida; captar e fixar profissionais na atenção primária em saúde e dar acesso aos tratamentos especializados, que devem ser realizados em municípios de referência na Região. Como veremos, a implantação da estratégia saúde da família e a organização da Rede Regionalizada de Saúde responderam a alguns desses desafios.

Página em construção.
 

PLANEJAMENTO

TERRITÓRIO

Uso do solo

CIDADE

LOCALIDADES

CULTURA, IDENTIDADES E CONEXÕES

No Vale Histórico, as Estações Ferroviárias são a principal marca da passagem do tempo e da vida. A estação de São José do Barreiro foi aberta na última década do século XIX. Era a estação terminal desde a sua inauguração, embora também fosse citada como terminal a estação de Tibiriçá, aparentemente uma pequena parada junto ao girador de locomotivas, pouco mais à frente. Havia previsão de prolongamento da ferrovia até Areias, chegando a Queluz e Itatiaia; além dos ramais para Cruzeiro e Parati. Quando movimento nesse Vale Histórico! Porém, nada saiu da prancheta e o prédio da estação, depois de servir por muitos anos como Câmara Municipal, é hoje sede do sindicato rural do município. A agricultura é significativa em São José do barreiro, 21,7% da população está ocupada neste setor econômico, o que confere características especiais à cidade.

Fonte: http://www.estacoesferroviarias.com.br/s/sjbarreiro.htm

Coisas só possíveis pela arte e pelo deslocamento que a mudança de ambiente, somada à sensível percepção, provoca: tecer a conexão e tensionar a divisão (construída) entre o urbano e o rural, em um laboratório de criação, integração e ruptura – a histórica Fazenda Santa Teresa. Nos anos de 2014 e 2015, os artistas Rachel Rosalen e Rafael Marchetti idealizaram e coordenaram o laboratório rural.scapes, estimulando, na rural São José do Barreiro, o  o encontro de vários artistas com o propósito de estimular “a pesquisa, articulação, reflexão, práticas transdisciplinares artísticas e produção crítica em um ambiente rural produtivo.” o que é o rural? o que é o urbano? qual o lugar da tecnologia em nossa vida hoje?  o que nos impulsiona a criar? como nos relacionamos, sofremos influência e modificamos o nosso entorno? A arte abre outras perspectivas. Quer fazer parte? aproveite, inscrições abertas para 2016, até dia 1 de março.

Conheça mais em http://www.ruralscapes.net/exposicao-rural-scapes-fazenda-santa-teresa/    e    http://www.ruralscapes.net

Com 104 mil hectares, o Parque Nacional da Serra da Bocaina (PNSB) é uma das maiores áreas protegidas da Mata Atlântica. Localizado em um trecho da Serra do Mar, na divisa entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo e alcançando altitudes superiores a 2.000m, o PNSB proporciona paisagens muito diversificadas e grande riqueza de fauna e flora.  São José dos Barreiro é parte desse percurso natural, que hoje pode ser explorado.

Fonte: http://www.icmbio.gov.br/parnaserradabocaina/