São Luiz do Paraitinga

Município de pequeno porte (10.458 habitantes, 2014), baixa densidade demográfica (16,94 habitantes por km2; Estado de São Paulo – 171,92), média urbanização (59,65%) e discreto predomínio feminino da população, com índice de envelhecimento (88,17%) acima do Estado (64,32%) e Região (61,92%). A análise das pirâmides demográficas (Figura 1) mostra o acompanhamento da tendência nacional de redução da fecundidade e mortalidade infantil, e aumento da expectativa de vida.  A taxa geométrica de crescimento da população de 2010 a 2014 foi positiva (0,15aa), mas bem abaixo que do Estado (0,87 aa) e Região (1,01aa). A renda per capita (R$ 479,18) é inferior ao valor da Região (R$ 742,68) e do Estado (R$ 853,75) e 32,31% dos domicílios, segundo o Censo de 2010, possuíam renda de até 1/2 salário mínimo. A taxa de analfabetismo (10,03%) é maior do que a do Estado (4,33) e maior do que a da região (4,01%).  Esses índices caracterizam o município como tendo baixos níveis de riqueza e indicadores sociais menos favoráveis, o que pode se refletir no acesso e organização da rede de saúde. Segundo o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), o município não possui mamógrafos, nem na rede privada.

Página em construção.
 

PLANEJAMENTO

TERRITÓRIO

Uso do solo

CIDADE

LOCALIDADES

CULTURA, IDENTIDADES E CONEXÕES

Depois de quatro anos de espera, finalmente o povo de São Luiz do Paraitinga pode entrar, novamente, na Igreja Matriz de São Luis de Tolosa. Reinaugurada a tempo para a tradicional Festa do Divino, o evento foi esperado com grande expectativa. A nova Igreja Matriz é um símbolo da reconstrução da cidade e da recuperação de sua identidade. Os luizenses tiveram participação importante na elaboração do projeto. Consultados por meio de audiência pública, os moradores quiseram que a nova igreja fosse reconstruída para ficar igual a antiga. Não queriam um templo moderno.

Fonte: http://dt7.com.br/igreja-matriz-ressurge-na-paisagem-de-sao-luiz-do-paraitinga/

A culinária é marca registrado na cultura de todos os povos, através dela pode-se conhecer quais os hábitos alimentares, a cultura agrícola e até mesmo a hospitalidade do povo de um determinado lugar, e em São Luiz não é diferente, boa parte das prendas recebidas pela folia são cabeças de gado para a preparação do afogado. Este é um cozido de carne com batata, acompanhado de macarrão, preparados em grandes tachos de cobre, servidos gratuitamente e que se tornaram marca registrada da Festa do Divino de São Luiz do Paraitinga. Qualquer festeiro que um dia imaginar em acabar com esta tradição enfrentará uma resistência gigantesca, mesmo porque se defrontará com um argumento absolutamente verdadeiro, que é: “O povo oferece ao Divino sua prenda e recebe do Divino o afogado da festa”. Segundo as crenças dos devotos, é o afogado da festa que transmite força para o organismo.

O congado é uma manifestação cultural e religiosa de influência africana celebrada em algumas regiões do Brasil. Trata basicamente de três temas em seu enredo: a vida de São Benedito, o encontro de Nossa Senhora do Rosário submergida nas águas, e a representação da luta de Carlos Magno contra as invasões mouras.

É um bailado popular dramático em que se representa a coroação do rei do Congo, por meio de danças e cantos com elementos musicais originários da África e da Península Ibérica. Os instrumentos utilizados são caixas, pandeiros, reco-recos, cuícas, triângulos, apitos, sanfonas, etc.

Atualmente em São Luiz do Paraitinga existem o Grupo de Congada do Alto do Cruzeiro e a Congada de Todos os Santos.

http://www.saoluizdoparaitinga.sp.gov.br/site/a-cidade/manifestacoes-culturais/